segunda-feira, setembro 22, 2008

Bogotá: Microguia Para Quem For Fazer Conexão Por lá. O Aeroporto El Dorado


Vamos começar por onde as viagens de avião obrigatoriamente vão passar: o aeroporto.

O aeroporto internacional de Bogotá chama-se El Dorado e localiza-se há uns 13 km do centro da cidade (gastei em média menos de 30 minutos saindo da Candelária, bairro histórico da cidade). Possui dois terminais, um mais velho (El Dorado) que responde por todos os vôos internacionais e uma boa parte dos vôos da Avianca e outro mais moderno (Puente Aéreo) que trabalha mais com vôos domésticos da Avianca. Foi anunciado recentemente que estará sendo iniciada a construção de um novo terminal que substituirá o terminal mais antigo (aquele que você vai usar para ir a Miami). Após a finalização do mesmo prevista para 2012, o terminal velho será demolido.

Ao pousar no aeroporto, tem se a impressão de que se acabou de pousar na garagem da OceanAir, já que a pintura da Avianca e da OceanAir são extremamente parecidas e não nega parentesco entre as duas (fazem parte do grupo Sinergy).

A saída da sala de desembarque, após a passagem pela alfândega, se dá em uma das extremidades do aeroporto e muito próximo ao ponto de táxi oficial do mesmo.

O aeroporto não é um primor de arquitetura, parece um pouco pequeno para o movimento de passageiros e é povoado por longas filas. Filas longas nos guichês de check in, filas longas no guichê onde se pega a isenção de pagamento de taxa de embarque e imposto de timbre. A taxa de embarque (33 USD em setembro/08) é isenta para quem está fazendo conexão em Bogotá (trânsito). Portanto, se você realmente estiver fazendo apenas uma escala em Bogotá, não deixe de colocar Miami como seu destino no formulário de imigração e relatar isso ao funcionário quando passar por lá. A taxa de timbre (21 USD) é isenta ao turista que permaneceu menos de 60 dias em solo colombiano. Para pegar a isenção dessas taxas você terá que passar no balcão localizado no centro do aeroporto.


Portanto, chegue cedo para reduzir sua permanência nas filas ou para poder enfrentá-las sem estresse. Lá eles sugerem chegar 3 horas antes de um vôo internacional.



No primeiro piso (térreo) ficam os guichês de check in, as lojas das cias aéreas, agências oficiais e salas de desembarque. No segundo piso, estão as lojas, praça de alimentação, salas de embarque e caixas eletrônicos.

Querendo sacar algum dinheiro em um caixa eletrônico ao chegar em Bogotá, retorne para dentro do primeiro piso, suba a escada para acessar o segundo piso e ande em direção a outra extremidade do aeroporto. Quase no final do segundo piso, você vai encontrar uma loja na qual existem 4 caixas eletrônicos de bancos diferentes (antes de chegar a essa loja, existe um caixa embutido em uma das paredes entre as lojas, mas não é muito visível). Não se assuste, se você chegar num vôo (como o meu da Varig) lá para as 23:20h, o aeroporto vai estar vazio mesmo, chega a dar um pouco de medo, mas tem segurança em todo o aeroporto.

Saindo do e chegando ao Aeroporto

Existe um ponto de táxis oficial do aeroporto na extremidade do terminal 2 bem próximo da porta da saída da sala de desembarque. Apresente o endereço ao funcionário do guichê. Ele vai te dar um papel (na verdade dois, um para ser entregue ao motorista e outro para você) contendo o preço da corrida, o qual só deve ser entregue ao motorista ao chegar no ponto final. As corridas custam cerca de 18.000 cops (um pouco menos durante o dia), cerca de 16 reais. O preço é fixo por zonas (tem uma taxa extra no caso da corrida saindo do aeroporto referente ao pedágio que já está inclusa), o que reduz o estresse de ter que negociar com um taxista que não gosta de usar taxímetro ou goste de dar umas voltas extras (coisa comum por lá e também por aqui....)

Na volta, tente conseguir um táxi que utilize taxímetro, ou vai acabar pagando um pouco mais pela corrida.

A grande maioria dos táxis que rodam em Bogotá são pequenos, carros do tamanho do Hyundai Atos e Kia Picanto, ou seja, menores que um Palio. Alguns deles ainda são movidos a gás tornando o espaço para Bagagens virtualmente inexistente. Grupos maiores do que dois, podem até ter que usar mais de um táxi no caso da bagagem ser volumosa.

Outra opção, muito menos recomendada, é o uso de ônibus comuns que podem ser acessados cruzando o estacionamento até o ponto de ônibus. São baratos e gastam cerca de 45 minutos até o centro. Mas atenção, se seu destino for a região da Candelária (zona histórica de Bogotá) não pegue os ônibus onde se lê Candelária, já que esses na verdade dirigem-se a um subúrbio pouco recomendado para turistas. Escolha os ônibus onde se lê a inscrição Germânia nesse caso.

5 comentários:

Rodrigo Bastos disse...

Olá...
Cheguei aqui pelo "conexaoparis".
Você poderia opinar sobre meu roteiro: http://www.mochileiros.com/1-semana-em-paris-roteiro-pronto-e-dicas-so-imprimir-t25240.html

Parabéns pelo blog..Excelente!

Rodrigo Bastos

Marceu disse...

Ótimo guia, alertou para importantes detalhes, principalmente sobre as taxas. Agora vou pesquisar um hotel ou talvez usar o couch surfing. Abraço

Allan disse...

Rodrigo, parabéns pelo excelente post!Mais uma vez ficarei lhe devendo esta...obrigadaão!Semana que vem utilizarei a Colombia como conexao para uma viagem a Aruba. Aproveito para falar que testarei o Priority Pass..vamos ver se vale a pena.
Abraços

Anônimo disse...

Um saludo e bom viagem!
Carmen

Rodrigo Purisch disse...

Rodrigo,

Só descordo que pela Air France é mais barato. Vôos No stop ou diretos costumam ser mais caros. Normalmente as promoções para ir a
Paris via Lisboa (TAP), Amsterdã (KLM), Frankfurt (Lufthansa), Zurique (Swiss), Madri (Iberia) e até Londres (British) acaba saindo muitas vezes mais barato ou, na pior das hipóteses, o mesmo preço, mas permite um stopover (parada) nessas cidades intermediárias. Paga-se o mesmo e ganharia a chance de conhecer mais uma cidade sem ter que pagar o vôo para ela.

Allan,

Depois deixe suas impressões!

Marceu,

Coach sufing eu acho que na atualidade não encaro mais não..rsrs

Um abraço

segunda-feira, setembro 22, 2008

Bogotá: Microguia Para Quem For Fazer Conexão Por lá. O Aeroporto El Dorado


Vamos começar por onde as viagens de avião obrigatoriamente vão passar: o aeroporto.

O aeroporto internacional de Bogotá chama-se El Dorado e localiza-se há uns 13 km do centro da cidade (gastei em média menos de 30 minutos saindo da Candelária, bairro histórico da cidade). Possui dois terminais, um mais velho (El Dorado) que responde por todos os vôos internacionais e uma boa parte dos vôos da Avianca e outro mais moderno (Puente Aéreo) que trabalha mais com vôos domésticos da Avianca. Foi anunciado recentemente que estará sendo iniciada a construção de um novo terminal que substituirá o terminal mais antigo (aquele que você vai usar para ir a Miami). Após a finalização do mesmo prevista para 2012, o terminal velho será demolido.

Ao pousar no aeroporto, tem se a impressão de que se acabou de pousar na garagem da OceanAir, já que a pintura da Avianca e da OceanAir são extremamente parecidas e não nega parentesco entre as duas (fazem parte do grupo Sinergy).

A saída da sala de desembarque, após a passagem pela alfândega, se dá em uma das extremidades do aeroporto e muito próximo ao ponto de táxi oficial do mesmo.

O aeroporto não é um primor de arquitetura, parece um pouco pequeno para o movimento de passageiros e é povoado por longas filas. Filas longas nos guichês de check in, filas longas no guichê onde se pega a isenção de pagamento de taxa de embarque e imposto de timbre. A taxa de embarque (33 USD em setembro/08) é isenta para quem está fazendo conexão em Bogotá (trânsito). Portanto, se você realmente estiver fazendo apenas uma escala em Bogotá, não deixe de colocar Miami como seu destino no formulário de imigração e relatar isso ao funcionário quando passar por lá. A taxa de timbre (21 USD) é isenta ao turista que permaneceu menos de 60 dias em solo colombiano. Para pegar a isenção dessas taxas você terá que passar no balcão localizado no centro do aeroporto.


Portanto, chegue cedo para reduzir sua permanência nas filas ou para poder enfrentá-las sem estresse. Lá eles sugerem chegar 3 horas antes de um vôo internacional.



No primeiro piso (térreo) ficam os guichês de check in, as lojas das cias aéreas, agências oficiais e salas de desembarque. No segundo piso, estão as lojas, praça de alimentação, salas de embarque e caixas eletrônicos.

Querendo sacar algum dinheiro em um caixa eletrônico ao chegar em Bogotá, retorne para dentro do primeiro piso, suba a escada para acessar o segundo piso e ande em direção a outra extremidade do aeroporto. Quase no final do segundo piso, você vai encontrar uma loja na qual existem 4 caixas eletrônicos de bancos diferentes (antes de chegar a essa loja, existe um caixa embutido em uma das paredes entre as lojas, mas não é muito visível). Não se assuste, se você chegar num vôo (como o meu da Varig) lá para as 23:20h, o aeroporto vai estar vazio mesmo, chega a dar um pouco de medo, mas tem segurança em todo o aeroporto.

Saindo do e chegando ao Aeroporto

Existe um ponto de táxis oficial do aeroporto na extremidade do terminal 2 bem próximo da porta da saída da sala de desembarque. Apresente o endereço ao funcionário do guichê. Ele vai te dar um papel (na verdade dois, um para ser entregue ao motorista e outro para você) contendo o preço da corrida, o qual só deve ser entregue ao motorista ao chegar no ponto final. As corridas custam cerca de 18.000 cops (um pouco menos durante o dia), cerca de 16 reais. O preço é fixo por zonas (tem uma taxa extra no caso da corrida saindo do aeroporto referente ao pedágio que já está inclusa), o que reduz o estresse de ter que negociar com um taxista que não gosta de usar taxímetro ou goste de dar umas voltas extras (coisa comum por lá e também por aqui....)

Na volta, tente conseguir um táxi que utilize taxímetro, ou vai acabar pagando um pouco mais pela corrida.

A grande maioria dos táxis que rodam em Bogotá são pequenos, carros do tamanho do Hyundai Atos e Kia Picanto, ou seja, menores que um Palio. Alguns deles ainda são movidos a gás tornando o espaço para Bagagens virtualmente inexistente. Grupos maiores do que dois, podem até ter que usar mais de um táxi no caso da bagagem ser volumosa.

Outra opção, muito menos recomendada, é o uso de ônibus comuns que podem ser acessados cruzando o estacionamento até o ponto de ônibus. São baratos e gastam cerca de 45 minutos até o centro. Mas atenção, se seu destino for a região da Candelária (zona histórica de Bogotá) não pegue os ônibus onde se lê Candelária, já que esses na verdade dirigem-se a um subúrbio pouco recomendado para turistas. Escolha os ônibus onde se lê a inscrição Germânia nesse caso.

5 comentários:

Rodrigo Bastos disse...

Olá...
Cheguei aqui pelo "conexaoparis".
Você poderia opinar sobre meu roteiro: http://www.mochileiros.com/1-semana-em-paris-roteiro-pronto-e-dicas-so-imprimir-t25240.html

Parabéns pelo blog..Excelente!

Rodrigo Bastos

Marceu disse...

Ótimo guia, alertou para importantes detalhes, principalmente sobre as taxas. Agora vou pesquisar um hotel ou talvez usar o couch surfing. Abraço

Allan disse...

Rodrigo, parabéns pelo excelente post!Mais uma vez ficarei lhe devendo esta...obrigadaão!Semana que vem utilizarei a Colombia como conexao para uma viagem a Aruba. Aproveito para falar que testarei o Priority Pass..vamos ver se vale a pena.
Abraços

Anônimo disse...

Um saludo e bom viagem!
Carmen

Rodrigo Purisch disse...

Rodrigo,

Só descordo que pela Air France é mais barato. Vôos No stop ou diretos costumam ser mais caros. Normalmente as promoções para ir a
Paris via Lisboa (TAP), Amsterdã (KLM), Frankfurt (Lufthansa), Zurique (Swiss), Madri (Iberia) e até Londres (British) acaba saindo muitas vezes mais barato ou, na pior das hipóteses, o mesmo preço, mas permite um stopover (parada) nessas cidades intermediárias. Paga-se o mesmo e ganharia a chance de conhecer mais uma cidade sem ter que pagar o vôo para ela.

Allan,

Depois deixe suas impressões!

Marceu,

Coach sufing eu acho que na atualidade não encaro mais não..rsrs

Um abraço

segunda-feira, setembro 22, 2008

Bogotá: Microguia Para Quem For Fazer Conexão Por lá. O Aeroporto El Dorado


Vamos começar por onde as viagens de avião obrigatoriamente vão passar: o aeroporto.

O aeroporto internacional de Bogotá chama-se El Dorado e localiza-se há uns 13 km do centro da cidade (gastei em média menos de 30 minutos saindo da Candelária, bairro histórico da cidade). Possui dois terminais, um mais velho (El Dorado) que responde por todos os vôos internacionais e uma boa parte dos vôos da Avianca e outro mais moderno (Puente Aéreo) que trabalha mais com vôos domésticos da Avianca. Foi anunciado recentemente que estará sendo iniciada a construção de um novo terminal que substituirá o terminal mais antigo (aquele que você vai usar para ir a Miami). Após a finalização do mesmo prevista para 2012, o terminal velho será demolido.

Ao pousar no aeroporto, tem se a impressão de que se acabou de pousar na garagem da OceanAir, já que a pintura da Avianca e da OceanAir são extremamente parecidas e não nega parentesco entre as duas (fazem parte do grupo Sinergy).

A saída da sala de desembarque, após a passagem pela alfândega, se dá em uma das extremidades do aeroporto e muito próximo ao ponto de táxi oficial do mesmo.

O aeroporto não é um primor de arquitetura, parece um pouco pequeno para o movimento de passageiros e é povoado por longas filas. Filas longas nos guichês de check in, filas longas no guichê onde se pega a isenção de pagamento de taxa de embarque e imposto de timbre. A taxa de embarque (33 USD em setembro/08) é isenta para quem está fazendo conexão em Bogotá (trânsito). Portanto, se você realmente estiver fazendo apenas uma escala em Bogotá, não deixe de colocar Miami como seu destino no formulário de imigração e relatar isso ao funcionário quando passar por lá. A taxa de timbre (21 USD) é isenta ao turista que permaneceu menos de 60 dias em solo colombiano. Para pegar a isenção dessas taxas você terá que passar no balcão localizado no centro do aeroporto.


Portanto, chegue cedo para reduzir sua permanência nas filas ou para poder enfrentá-las sem estresse. Lá eles sugerem chegar 3 horas antes de um vôo internacional.



No primeiro piso (térreo) ficam os guichês de check in, as lojas das cias aéreas, agências oficiais e salas de desembarque. No segundo piso, estão as lojas, praça de alimentação, salas de embarque e caixas eletrônicos.

Querendo sacar algum dinheiro em um caixa eletrônico ao chegar em Bogotá, retorne para dentro do primeiro piso, suba a escada para acessar o segundo piso e ande em direção a outra extremidade do aeroporto. Quase no final do segundo piso, você vai encontrar uma loja na qual existem 4 caixas eletrônicos de bancos diferentes (antes de chegar a essa loja, existe um caixa embutido em uma das paredes entre as lojas, mas não é muito visível). Não se assuste, se você chegar num vôo (como o meu da Varig) lá para as 23:20h, o aeroporto vai estar vazio mesmo, chega a dar um pouco de medo, mas tem segurança em todo o aeroporto.

Saindo do e chegando ao Aeroporto

Existe um ponto de táxis oficial do aeroporto na extremidade do terminal 2 bem próximo da porta da saída da sala de desembarque. Apresente o endereço ao funcionário do guichê. Ele vai te dar um papel (na verdade dois, um para ser entregue ao motorista e outro para você) contendo o preço da corrida, o qual só deve ser entregue ao motorista ao chegar no ponto final. As corridas custam cerca de 18.000 cops (um pouco menos durante o dia), cerca de 16 reais. O preço é fixo por zonas (tem uma taxa extra no caso da corrida saindo do aeroporto referente ao pedágio que já está inclusa), o que reduz o estresse de ter que negociar com um taxista que não gosta de usar taxímetro ou goste de dar umas voltas extras (coisa comum por lá e também por aqui....)

Na volta, tente conseguir um táxi que utilize taxímetro, ou vai acabar pagando um pouco mais pela corrida.

A grande maioria dos táxis que rodam em Bogotá são pequenos, carros do tamanho do Hyundai Atos e Kia Picanto, ou seja, menores que um Palio. Alguns deles ainda são movidos a gás tornando o espaço para Bagagens virtualmente inexistente. Grupos maiores do que dois, podem até ter que usar mais de um táxi no caso da bagagem ser volumosa.

Outra opção, muito menos recomendada, é o uso de ônibus comuns que podem ser acessados cruzando o estacionamento até o ponto de ônibus. São baratos e gastam cerca de 45 minutos até o centro. Mas atenção, se seu destino for a região da Candelária (zona histórica de Bogotá) não pegue os ônibus onde se lê Candelária, já que esses na verdade dirigem-se a um subúrbio pouco recomendado para turistas. Escolha os ônibus onde se lê a inscrição Germânia nesse caso.

5 comentários:

Rodrigo Bastos disse...

Olá...
Cheguei aqui pelo "conexaoparis".
Você poderia opinar sobre meu roteiro: http://www.mochileiros.com/1-semana-em-paris-roteiro-pronto-e-dicas-so-imprimir-t25240.html

Parabéns pelo blog..Excelente!

Rodrigo Bastos

Marceu disse...

Ótimo guia, alertou para importantes detalhes, principalmente sobre as taxas. Agora vou pesquisar um hotel ou talvez usar o couch surfing. Abraço

Allan disse...

Rodrigo, parabéns pelo excelente post!Mais uma vez ficarei lhe devendo esta...obrigadaão!Semana que vem utilizarei a Colombia como conexao para uma viagem a Aruba. Aproveito para falar que testarei o Priority Pass..vamos ver se vale a pena.
Abraços

Anônimo disse...

Um saludo e bom viagem!
Carmen

Rodrigo Purisch disse...

Rodrigo,

Só descordo que pela Air France é mais barato. Vôos No stop ou diretos costumam ser mais caros. Normalmente as promoções para ir a
Paris via Lisboa (TAP), Amsterdã (KLM), Frankfurt (Lufthansa), Zurique (Swiss), Madri (Iberia) e até Londres (British) acaba saindo muitas vezes mais barato ou, na pior das hipóteses, o mesmo preço, mas permite um stopover (parada) nessas cidades intermediárias. Paga-se o mesmo e ganharia a chance de conhecer mais uma cidade sem ter que pagar o vôo para ela.

Allan,

Depois deixe suas impressões!

Marceu,

Coach sufing eu acho que na atualidade não encaro mais não..rsrs

Um abraço