segunda-feira, maio 26, 2008

American Airlines: Nova Low Cost Doméstica?

Nós já postamos aqui no Blog o anúncio de a American iria cobrar 25USD pela segunda mala despachada nos vôos domésticos. Mas não é que ela anunciou a cobrança também do despacho da primeira mala nos vôos domésticos nas tarifas promocionais? A partir de 15 de junho será cobrado 15 USD pelo despacho da primeira mala nos vôos domésticos (os vôos internacionais e as tarifas não promocionais e os associados do Aadvantage estão fora dessa cobrança).

Se não bastasse isso, a American deve elevar de 10 a 60 USD as passagens dependendo da distância do vôo e da competição na rota.

Olha, isso de cobrar pela primeira mala não deve se restringir a American, já que os aumentos já estão se espalhando nas demais cias americanas.

Todo mundo atrás do modelo Ryanair, pelo menos no mercado doméstico americano

4 comentários:

PêEsse disse...

Rodrigo, se eu faço GRU-MIA de Tam, depois compro um trecho interno qualquer (critério preço) para ir de Orlando para NYC e volto para o Brasil fazendo JFK-GRU, como fica meu limite de peso nas bagagens? Quantos volumes e qual o peso máximo em cada um deles (serão duas pessoas)?

Anônimo disse...

um absurdo cobrar pela primeira bagagem, alem disso, e' carissima esta taxa de 15 dolares, se o servico deles fosse excepcional talvez valesse a pena pagar mas na verdade nao chega nem perto do que seria ideal...

Perguntas ou Sugestões? Deixe seu comentário! disse...

Queria registrar aqui também o aumento das taxas de embarque da American. Passaram a cobrar adicionar de combustível por causa da crise do dólar e o aumento do barril de petróleo - as taxas costumavam custar US$ 180, passaram para US$ 250.

Um abraço

Rodrigo Purisch disse...

Pêesse,

Vai depender de como você comprar a passagem. Se for uma TAM ida GRU/MIA e volta JFK/GRU ou Orlando(MCO)/JFK/GRU com stop (se a tarifa permitir)na volta em NY vale a franquia de 2 peças de 32 kg nesses vôos (seria meia tarifa GRU/MIA associada com meia tarifa GRU/MCO para formar sua tarifa). Mas se a perna MCO/NYC foi emtida em outra tarifa, vale a franquia doméstica. Se você emitir uma passagem só de ida na TAM e a Volta em outra cia, vai valer a fanquia de 32kg só na ida, Na volta vale a franquia da cia que você escolheu para voltar e que é aplicada a vôos para o Brasil partindo dos EUA.

Não importa se todos os vôos forem emitidos dentro de uma passagem, o que importa é que tarifa (e sua regra) que engloba o vôo. Se uma tarifa permitir várias paradas intermediárias, então todos os vôos seguem a mesma franquia. Se uma passagem é formada por tarifas diferentes, cada trcho segue a franquia. Use os links desse post para pesquisar as franquias cia a cia
http://aquelapassagem.blogspot.com/2007/09/o-excesso-de-bagagem-pode-fazer-o_06.html


Também não gosto dessa taxa de 15 USD. Mas o medo é de que isso comece a se espalhar nas cias americanas. Olha, nos vôos domésticos as cias low cost e as tradicionais não tem se diferenciado muito não. Já voei de United e US Airways e não muda nada em relação a Airtran. A Continental é que ainda tenta oferecer algo a mais...

Caio,

Tenho feito alertas constantes sobre o aumento dos adicionais de combustível em várias cias pelo mundo. É essa parte que está aumentando nas taxas extras associadas ao preço da tarifa.

Um abraço a todos

segunda-feira, maio 26, 2008

American Airlines: Nova Low Cost Doméstica?

Nós já postamos aqui no Blog o anúncio de a American iria cobrar 25USD pela segunda mala despachada nos vôos domésticos. Mas não é que ela anunciou a cobrança também do despacho da primeira mala nos vôos domésticos nas tarifas promocionais? A partir de 15 de junho será cobrado 15 USD pelo despacho da primeira mala nos vôos domésticos (os vôos internacionais e as tarifas não promocionais e os associados do Aadvantage estão fora dessa cobrança).

Se não bastasse isso, a American deve elevar de 10 a 60 USD as passagens dependendo da distância do vôo e da competição na rota.

Olha, isso de cobrar pela primeira mala não deve se restringir a American, já que os aumentos já estão se espalhando nas demais cias americanas.

Todo mundo atrás do modelo Ryanair, pelo menos no mercado doméstico americano

4 comentários:

PêEsse disse...

Rodrigo, se eu faço GRU-MIA de Tam, depois compro um trecho interno qualquer (critério preço) para ir de Orlando para NYC e volto para o Brasil fazendo JFK-GRU, como fica meu limite de peso nas bagagens? Quantos volumes e qual o peso máximo em cada um deles (serão duas pessoas)?

Anônimo disse...

um absurdo cobrar pela primeira bagagem, alem disso, e' carissima esta taxa de 15 dolares, se o servico deles fosse excepcional talvez valesse a pena pagar mas na verdade nao chega nem perto do que seria ideal...

Perguntas ou Sugestões? Deixe seu comentário! disse...

Queria registrar aqui também o aumento das taxas de embarque da American. Passaram a cobrar adicionar de combustível por causa da crise do dólar e o aumento do barril de petróleo - as taxas costumavam custar US$ 180, passaram para US$ 250.

Um abraço

Rodrigo Purisch disse...

Pêesse,

Vai depender de como você comprar a passagem. Se for uma TAM ida GRU/MIA e volta JFK/GRU ou Orlando(MCO)/JFK/GRU com stop (se a tarifa permitir)na volta em NY vale a franquia de 2 peças de 32 kg nesses vôos (seria meia tarifa GRU/MIA associada com meia tarifa GRU/MCO para formar sua tarifa). Mas se a perna MCO/NYC foi emtida em outra tarifa, vale a franquia doméstica. Se você emitir uma passagem só de ida na TAM e a Volta em outra cia, vai valer a fanquia de 32kg só na ida, Na volta vale a franquia da cia que você escolheu para voltar e que é aplicada a vôos para o Brasil partindo dos EUA.

Não importa se todos os vôos forem emitidos dentro de uma passagem, o que importa é que tarifa (e sua regra) que engloba o vôo. Se uma tarifa permitir várias paradas intermediárias, então todos os vôos seguem a mesma franquia. Se uma passagem é formada por tarifas diferentes, cada trcho segue a franquia. Use os links desse post para pesquisar as franquias cia a cia
http://aquelapassagem.blogspot.com/2007/09/o-excesso-de-bagagem-pode-fazer-o_06.html


Também não gosto dessa taxa de 15 USD. Mas o medo é de que isso comece a se espalhar nas cias americanas. Olha, nos vôos domésticos as cias low cost e as tradicionais não tem se diferenciado muito não. Já voei de United e US Airways e não muda nada em relação a Airtran. A Continental é que ainda tenta oferecer algo a mais...

Caio,

Tenho feito alertas constantes sobre o aumento dos adicionais de combustível em várias cias pelo mundo. É essa parte que está aumentando nas taxas extras associadas ao preço da tarifa.

Um abraço a todos

segunda-feira, maio 26, 2008

American Airlines: Nova Low Cost Doméstica?

Nós já postamos aqui no Blog o anúncio de a American iria cobrar 25USD pela segunda mala despachada nos vôos domésticos. Mas não é que ela anunciou a cobrança também do despacho da primeira mala nos vôos domésticos nas tarifas promocionais? A partir de 15 de junho será cobrado 15 USD pelo despacho da primeira mala nos vôos domésticos (os vôos internacionais e as tarifas não promocionais e os associados do Aadvantage estão fora dessa cobrança).

Se não bastasse isso, a American deve elevar de 10 a 60 USD as passagens dependendo da distância do vôo e da competição na rota.

Olha, isso de cobrar pela primeira mala não deve se restringir a American, já que os aumentos já estão se espalhando nas demais cias americanas.

Todo mundo atrás do modelo Ryanair, pelo menos no mercado doméstico americano

4 comentários:

PêEsse disse...

Rodrigo, se eu faço GRU-MIA de Tam, depois compro um trecho interno qualquer (critério preço) para ir de Orlando para NYC e volto para o Brasil fazendo JFK-GRU, como fica meu limite de peso nas bagagens? Quantos volumes e qual o peso máximo em cada um deles (serão duas pessoas)?

Anônimo disse...

um absurdo cobrar pela primeira bagagem, alem disso, e' carissima esta taxa de 15 dolares, se o servico deles fosse excepcional talvez valesse a pena pagar mas na verdade nao chega nem perto do que seria ideal...

Perguntas ou Sugestões? Deixe seu comentário! disse...

Queria registrar aqui também o aumento das taxas de embarque da American. Passaram a cobrar adicionar de combustível por causa da crise do dólar e o aumento do barril de petróleo - as taxas costumavam custar US$ 180, passaram para US$ 250.

Um abraço

Rodrigo Purisch disse...

Pêesse,

Vai depender de como você comprar a passagem. Se for uma TAM ida GRU/MIA e volta JFK/GRU ou Orlando(MCO)/JFK/GRU com stop (se a tarifa permitir)na volta em NY vale a franquia de 2 peças de 32 kg nesses vôos (seria meia tarifa GRU/MIA associada com meia tarifa GRU/MCO para formar sua tarifa). Mas se a perna MCO/NYC foi emtida em outra tarifa, vale a franquia doméstica. Se você emitir uma passagem só de ida na TAM e a Volta em outra cia, vai valer a fanquia de 32kg só na ida, Na volta vale a franquia da cia que você escolheu para voltar e que é aplicada a vôos para o Brasil partindo dos EUA.

Não importa se todos os vôos forem emitidos dentro de uma passagem, o que importa é que tarifa (e sua regra) que engloba o vôo. Se uma tarifa permitir várias paradas intermediárias, então todos os vôos seguem a mesma franquia. Se uma passagem é formada por tarifas diferentes, cada trcho segue a franquia. Use os links desse post para pesquisar as franquias cia a cia
http://aquelapassagem.blogspot.com/2007/09/o-excesso-de-bagagem-pode-fazer-o_06.html


Também não gosto dessa taxa de 15 USD. Mas o medo é de que isso comece a se espalhar nas cias americanas. Olha, nos vôos domésticos as cias low cost e as tradicionais não tem se diferenciado muito não. Já voei de United e US Airways e não muda nada em relação a Airtran. A Continental é que ainda tenta oferecer algo a mais...

Caio,

Tenho feito alertas constantes sobre o aumento dos adicionais de combustível em várias cias pelo mundo. É essa parte que está aumentando nas taxas extras associadas ao preço da tarifa.

Um abraço a todos